blog

Meu laboratório

Depois de sair mundo afora tirando fotos, é importante ter uma estrutura mínima para selecionar, armazenar e editar as fotos. A captura da imagem é apenas o começo do processo. Antigamente os fotógrafos usavam um laboratório para revelar suas imagens, porém com a evolução tecnológica o processo ficou bem mais simples e, agora, podemos "revelar" nossas fotos em qualquer computador ou mesmo editá-las em tablets e celulares.

Minha principal ferramenta para a atividade de edição é um Apple Macbook Pro Core I7 13", com 8GB de memória RAM e HD com capacidade de 750GB. Escolhi esse modelo pela portabilidade (ideal para viagens, por ser pequeno) e pelo seu poder de processamento, que para a edição de imagens é mais do que suficiente.

Em casa, ligo o notebook ao monitor Apple Thunderbolt Display, de 27". Um monitor complementar não é imprescindível mas, sem dúvida, assegura maior conforto visual e acelera o processo de edição, na medida em que torna mais fácil a visualização da imagem em maior zoom e a identificação de prováveis falhas.

O primeiro passo é transferir as imagens para o computador e, para a gestão das imagens, uso o Adobe Lightroom 5. Em seguida, inicio o processo de seleção daquelas que desejo manter ou descartar (e este trabalho é o que consome mais tempo).

Dedico especial atenção aos procedimentos de back up, para evitar a possibilidade de perda do acervo - que é muito relevante para mim. Como solução segura, tenho um  Apple Time Capsule, que faz o back up incremental do conteúdo armazenado no computador diversas vezes por dia. Meu Time Capsule tem capacidade de armazenamento de 2TB, mas é possível expandi-la adicionando um HD extra, por meio de uma porta USB que possui.

Após resolvida a questão do armazenamento e seleção, começo a fase dos ajustes das imagens. Quando a foto é capturada da maneira correta, os ajustes são bem simples e de rápida execução. Também uso o Adobe Lightroom 5 para essas correções. Os principais ajustes a serem feitos são:

  • Horizontes inclinados;
  • Verticais convergentes;
  • Distorções ópticas geradas pela curvatura da lente;
  • Aberrações cromáticas;
  • Balanço de branco;
  • Recortes / re-enquadramento.

O Adobe Lightroom 5 é versátil e permite instalar plugins. Apesar da diversidade de plugins disponíveis para esse programa, somente trabalho com o pacote de softwares da Nik. Utilizo esse pacote para os seguintes ajustes:

  • Nitidez;
  • Cores;
  • Contraste;
  • Ruído;
  • Conversão em preto e branco.

Para ajustes de nitidez uso exclusivamente o Nik Sharpener Pro, porque o resultado do processamento é mais interessante do que aquele realizado pelo Adobe Lightroom 5. Para um preciso ajuste de cores uso o Nik Color Efex Pro, com o qual trabalho as cores de forma individual. Esse plugin possibilita, inclusive, adicionar alguns filtros pré-definidos ou criar um específico.

Para trabalhar o contraste da imagem uso o Nik Viveza Pro. Consigo aplicar constraste nos tons selecionados com mais sensibilidade e obtenho resultados muito próximos da realidade.

Uso o Nik Dfine para ajustar o contraste e reduzir o ruído da cor separadamente. Além disso, é possível controlar em que área a redução de ruído será aplicada através de pontos de controle.

Para converter imagens em preto e branco (ou tratar fotos que já tenham sido convertidas) recomendo o Nik Silver Efex, que possui ferramentas específicas como brilho dinâmico, contraste suave, amplificador de brancos e de pretos. O programa simula também filmes populares e permite fazer ajustes finos nos mesmos. É, com certeza, a melhor ferramenta que encontrei para conversão e edição de imagens em preto e branco.

Por fim, para a realização de ajustes mais complexos como a limpeza de manchas no sensor que tenham ficado registradas nas imagens e a manipulação de imagens, montagens e panorâmicas, uso o Adobe Photoshop CC.